}); PORTAL ORÓS: SEGURO DPVAT: CEARÁ É O 2º DO NORDESTE EM INDENIZAÇÕES POR MORTE NO TRÂNSITO

terça-feira, 22 de agosto de 2017

SEGURO DPVAT: CEARÁ É O 2º DO NORDESTE EM INDENIZAÇÕES POR MORTE NO TRÂNSITO

O Ceará registrou, entre 2016 e 2017, aumento de 88,98% nas indenizações pagas por mortes no trânsito, conforme boletim lançado pela seguradora Líder, responsável pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT). Com 223 pagamentos realizados, aponta o levantamento referente a julho deste ano, o Estado é o segundo do Nordeste (18,85%) e o sexto do País (6,16%) em número de reparações pagas pela empresa.

Passando de 2.432 pagamentos realizados por invalidez permanente no Estado em julho de 2016 para 2.644 em julho de 2017, o acréscimo foi menor, de 8,72%, mas o acumulado coloca o Ceará como o líder do Nordeste nas indenizações por essa natureza, concentrando 31,07% de toda a região e 10,59% dos pagamentos de todo o País, ficando atrás apenas do Estado de Minas Gerais.

Expressivo, também, foi o aumento no número das indenizações pagas por Despesas Médicas (DAMS) em igual período. Foram 174 pagamentos realizados em julho deste ano, contra 100 em igual mês do ano passado, uma variação de 74%. Nesta categoria, o Ceará ocupa novamente a 2º posição do Nordeste, com 18,37% dos casos.

Em todo o Brasil, a seguradora pagou 33.720 mil indenizações em julho de 2017, incluindo os casos de morte, invalidez permanente e despesas médico-hospitalares decorrentes de acidentes de trânsito. Ante a igual período de 2016, o Boletim Estatístico DPVAT aponta aumento de 42% de pagamentos por morte se comparado a 2016. Foram 3.620 reparações às famílias de pessoas mortas.

Na Capital, segundo a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), as ações de mobilidade e segurança viária desenvolvidas pela Prefeitura de Fortaleza em parceria com a iniciativa Bloomberg de Segurança Viária são responsáveis por um quadro positivo, de redução de vítimas fatais no trânsito da cidade. De acordo com dados preliminares do Relatório Anual de Acidentes de Trânsito de 2016, de janeiro a dezembro deste mesmo ano, foram registradas 278 mortes contra 381 óbitos em 2011, redução de 27,03%. O total aponta, ainda, o número de óbitos abaixo de 300, inédito nos últimos quinze anos, segundo a AMC.

Entre as ações, destaca o órgão de trânsito, está a ampliação da rede cicloviária, o Programa de Apoio à Circulação de Pedestres com áreas de trânsito calmo, travessias elevadas e faixas em diagonal, binários, assim como campanhas educativas, intervenções de engenharia de tráfego e fiscalização. "Além disso, temos focado na sinalização das vias para que haja uma maior harmonia entre motoristas, ciclistas e pedestres", afirma Arcelino Lima, superintendente da AMC.

Pedestres

Sobre o grande número de mortes de pedestres registrado pelo DPVAT, o superintendente da AMC Arcelino Lima afirma que ações como a implantação de passarelas e faixas de pedestres estão sendo realizadas para lutar contra essa realidade.

"De fato, o pedestre é o mais frágil no trânsito e acaba sendo uma das maiores vítimas. Além das passarelas e travessias elevadas, ações como a redução de velocidade em vias de grande fluxo de pedestres também corroboram com essa nossa preocupação", aponta Lima. Já o Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) disse que o trabalho de educação com foco na redução de acidentes vem sendo feito diariamente no Estado. Para justificar, aponta os cerca de 25 mil alunos de escola pública e privada, entre cinco anos e 15 anos, em atividade nas duas escolas de trânsito do órgão, em Fortaleza e Sobral

Além disso, o órgão destaca as campanhas em prol do uso do cinto de segurança, dispositivos de retenção de crianças, uso do capacete para condutor e passageiro, o respeito ao limite de velocidade e à faixa de pedestre, entre outras ações.


Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário