}); PORTAL ORÓS: Quilo da batata aumenta 221% na Ceasa da Grande Fortaleza com greve de caminhoneiros

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Quilo da batata aumenta 221% na Ceasa da Grande Fortaleza com greve de caminhoneiros



Os alimentos da Ceasa de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, estão com preços até 220% mais altos por causa da falta de entrega dos produtos com as paralisações de caminhoneiros que ocorrem desde a última segunda-feira (21).

Na manhã desta quinta-feira (24), muitas prateleiras da Ceasa amanheceram vazias. Segundo o analista de mercado da Central, Odálio Girão, por causa da paralisação já faltam frutas, legumes e verduras.

Com a falta, alguns produtos já sofrem aumento. O produto que mais sofreu aumento na Ceasa foi a batata-inglesa. O quilo custava R$ 2,80 na última segunda-feira. Nesta quarta-feira, o legume custa R$ 9,00. Um crescimento de 221,43%. Uva e cenoura também tiveram alta de preços.

Aumento dos preços na Ceasa Maracanaú
ProdutoPreço antigoPreço atualDesvio em %
Batata-inglesaR$ 2,80R$ 9,00257,14%
CenouraR$ 2,50R$ 4,0060%
UvaR$ 4,00R$ 8,00100%
MaracujáR$ 4,00R$ 5,5037,50%
TomateR$ 3,00R$ 4,0033,33%
BeterrabaR$ 3,00R$ 4,0033,33%
PimentãoR$ 2,50R$ 3,1526%
CebolaR$ 4,00R$ 5,0025%
RepolhoR$ 2,50R$ 3,0020%

Odálio reforça que se a paralisação dos caminhoneiros continuar vai haver a escassez da laranja no posto. “O que tem é devido ao estoque de outras semanas. O estoque está terminando e até agora nenhum veículo vindo de São Paulo e Minas Gerais chegou aqui para reabastecer. Teremos um colapso de laranja e de outros produtos”, avalia.

O analista de mercado da Central falou também que a entrada de caminhões na Ceasa vindos de outros estados caiu algo entorno de 80 a 90%.

Novas paralisações e bloqueios
Motoristas de caminhão ampliaram os bloqueios nas rodovias federais do Ceará nesta quinta-feira (24), quarto dia seguido de protestos contra o aumento do preço do combustível. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), oito trechos estão fechados no estado, até as 9h01.

Na Região do Cariri, a greve dos caminhoneiros afetou o fornecimento de combustível para as aeronaves. De acordo com a Infraero, o Aeroporto de Juazeiro do Norte tem combustível suficiente para operar até esta sexta-feira (25).


Por Gioras Xerez, G1 CE


Nenhum comentário:

Postar um comentário