}); PORTAL ORÓS: Ceará lidera emissão de carteiras de trabalho na Região

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Ceará lidera emissão de carteiras de trabalho na Região



A emissão de carteiras de trabalho para estrangeiros no Ceará subiu 6,33% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2017, quando foram registrados 302 documentos nos seis primeiros meses. O número é o maior do Nordeste e foi divulgado ontem (1º) pelo Ministério do Trabalho. Para brasileiros, foram emitidas 107.430 carteiras, uma redução de 3,14% na comparação com o ano passado.

Apesar da queda no Estado, no Brasil houve um aumento de mais de 74 mil documentos no período, demonstrando que, mesmo com a elevação de brasileiros na condição de desalento, que é quando a pessoa desiste de buscar trabalho depois de tentar se inserir no mercado sem sucesso, as pessoas ainda procuram tirar a carteira.

No Nordeste, o Ceará também liderou a emissão do documento para estrangeiros. Logo em seguida aparecem: Bahia (301), Pernambuco (149), Rio Grande do Norte (69), Maranhão (54), Paraíba (45), Alagoas (39), Sergipe (32) e Piauí (16). Já as carteiras de trabalho para brasileiros, a Bahia segue na frente na Região, com a emissão de 163.541 documentos. Ceará (107.430), Pernambuco (99.188), Maranhão (84.295), Rio Grande do Norte (41.965), Paraíba (41.586), Alagoas (37.993), Piauí (37.194) e Sergipe (27.923) completam a lista.

No primeiro semestre de 2018, mais de 2,7 milhões de carteiras de trabalho foram emitidas em todo o País. Esse número representa um aumento geral de mais de 74 mil documentos em relação ao mesmo período do ano passado. Até o final de junho de 2017 haviam sido emitidas 2.644.195 carteiras no Brasil, enquanto que em 2018 esse número ficou em 2.719.179.

O estado de São Paulo foi o que mais emitiu carteiras no período (673.347), seguido de Minas Gerais (277.599), Rio de Janeiro (211.712), Bahia (163.842) e Paraná (147.207). Em 2018 também houve um aumento na emissão de carteiras para estrangeiros. Enquanto o total de emissões até maio de 2017 foi de 22.938, o mesmo período, em 2018, totalizou 34.727 carteiras. Esse aumento foi impulsionado principalmente pelo estado de Roraima, em virtude da grande quantidade de imigrantes venezuelanos ingressando no Brasil devido à crise em seu país de origem.

Em Roraima, a quantidade de documentos emitidos para estrangeiros cresceu 72%, se comparado com o número de carteiras emitidas no mesmo intervalo de tempo em 2017. Enquanto no ano passado o número de emissões foi de 2.903, em 2018 esse número chegou a 10.350.

Autorizações

Dados do Ministério do Trabalham mostram ainda que foram concedidas, no primeiro trimestre deste ano, 91 autorizações de trabalho para estrangeiros. O número é 47% menor do que no mesmo período de 2017, quando foram emitidas 172 autorizações dessa natureza para trabalhadores de outros países.

Em todo o Brasil, no primeiro trimestre, foram concedidas 6.887 autorizações para estrangeiros, crescimento de 7% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram emitidas 6.432 autorizações. O Rio de Janeiro lidera o ranking com 3.233 concessões de trabalho, seguido de São Paulo (2.017), Paraná (249) e Minas Gerais (234). No País, as Filipinas estão no topo da lista com 1.006 autorizações nos três primeiros meses de 2018. Os chineses vêm logo em seguida com 564 concessões de trabalho. Estados Unidos (519) Índia (517) e Japão (494) completam a lista dos cinco maiores solicitantes.

Carteira Digital

Desde novembro passado, além do documento em sua versão física, o trabalhador conta com a Carteira de Trabalho Digital. O aplicativo já teve 250 mil downloads, com uma média de 1,7 mil downloads por dia. A versão digital permite que os trabalhadores tenham sempre em mãos as informações de qualificação civil e dos vínculos trabalhistas e possam solicitar a primeira e a segunda vias do documento.

Ele também pode conferir se seu empregador forneceu o vínculo trabalhista e saber se as informações prestadas estão corretas nos sistemas do governo. Do total de downloads realizados até agora, 220 mil foram para celulares com sistema operacional Android e 30 mil para iOS. O serviço de emissão de carteiras está disponível nas unidades do Ministério do Trabalho e em unidades descentralizadas em todo o país, por meio de parcerias com estados e municípios. A rede conta com mais de 2,4 mil postos de atendimento.

Pedido

Para fazer a carteira pela primeira vez é preciso apresentar CPF, comprovante de residência, carteira de identidade e certidão de nascimento ou casamento. Quem já fez o documento e precisa da segunda via deve ter em mãos a carteira anterior ou boletim de ocorrência (em caso de furto, perda ou roubo), um documento que comprove o número e a série da carteira anterior (pode ser Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho, Requerimento de Seguro-Desemprego, Extrato do FGTS ou Espelho do PIS ativo na Caixa Econômica). A foto é feita na hora e todos os documentos devem ser originais ou cópias legíveis, autenticadas em cartório.



Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário