}); PORTAL ORÓS: Advogado flagrado saindo de prisão com bilhetes de detentos é solto, mas monitorado por tornozeleira eletrônica, em Fortaleza

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Advogado flagrado saindo de prisão com bilhetes de detentos é solto, mas monitorado por tornozeleira eletrônica, em Fortaleza



O cárcere do advogado Alaor Patrício Júnior, de 25 anos, teve fim cerca de uma semana após a prisão. Ele foi flagrado saindo de penitenciária com quase 20 bilhetes destinados a integrantes de organizações criminosas, depois de visitar clientes presos. Nesta quarta-feira (2), o juiz da 2ª Vara da Comarca de Itaitinga, no Ceará, Christiano Silva Sibaldo de Assunção decidiu conceder liberdade provisória ao custodiado, diante da aplicação de medidas cautelares, dentre elas, o monitoramento por tornozeleira eletrônica.

Alaor Patrício foi preso no último dia 24 de setembro, em meio à sequência de ataques criminosos realizados no Ceará a mando de uma facção criminosa. No momento do flagrante, ele se aproximava da saída da Casa de Privação Provisória de Liberdade Agente Elias Alves da Silva (CPPL IV), em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza.

A Ordem dos Advogados do Brasil - Secção Ceará (OAB-Ceará) chegou a suspender o direito de Alaor de exercer as atividades como advogado.

A decisão pela soltura aconteceu durante a audiência de custódia de Alaor. O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) havia pedido que a prisão em flagrante fosse convertida em prisão preventiva devido à gravidade do crime. Os bilhetes encontrados tratavam de assuntos como fugas e contabilidade de drogas.

No alvará de soltura expedido ficou determinado que Alor Patrício Júnior não pode se ausentar da comarca onde reside e está proibido de frequentar cadeias ou presídios no Ceará. O advogado foi preso por integrar organização criminosa e por associação para o tráfico de drogas.

Nos autos consta que as atitudes de Alaor já vinham sendo observadas pela direção da unidade prisional. Todos os clientes visitados por ele no último dia 24 estavam na ala de segurança máxima do equipamento. Os agentes afirmaram ter percebido quando Alaor passou um papel e uma caneta aos internos.


Por G1 CE


Nenhum comentário:

Postar um comentário