segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Suspeito de estelionato foragido da Justiça cearense processa advogados, defensores e juízes como 'vingança'



Há mais de um ano, o livreiro Henrique de Paula Fudoli é considerado foragido da Justiça do Estado do Ceará pelo crime de estelionato. Como 'vingança' aos profissionais ligados ao sistema de Justiça, o suspeito vem processando advogados, defensores públicos e juízes.

Fudoli é o autor de mais de 30 procedimentos judiciais, que vão desde pedidos de indenizações patrimoniais até representações criminais. Conforme o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), em agosto de 2019, a 11ª Vara Criminal expediu mandado de prisão contra o suspeito, que, no sistema, permanece em aberto.

Na Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), o nome do suspeito é conhecido. São diversos inquéritos disponíveis contra ele remetidos ao Judiciário, confirmado titular da DDF, Jaime de Paula Pessoa. Em contrapartida, nos autos, o livreiro alega ser perseguido pelas autoridades e vítima de "retaliação estatal".


Casos

A advogada Gina Albuquerque afirma ser uma das vítimas do livreiro. Gina conta que no ano de 2015 Henrique a habilidade buscando defesa em um caso envolvendo a família da esposa: "Eu não sabia da problemática naquela época, iniciei o trabalho. Ele pediu para juntar provas afirmando que o filho vinha sendo abusado pelo sogro . Eu disse que não iria para provas e renunciei o caso. Depois disso, a ser protestada como se eu incluí comprando livros dele e não existisse pagando ".

Um dos valores reclamados pelo suspeito de estelionato contra uma advogada foi de quase R $ 2 milhões. "Comecei a pesquisar na internet o que vinha acontecendo e descobri várias outras colhidas dele. Em um dos casos, a juíza proferiu uma decisão contra o que ele queria, e aí ele protestou a magistrada também", contou Gina.

Outro processo aberto pelo livreiro é contra um grupo de defensores públicos com atuação no Ceará. Os defensores alertam para perseguição e importunação que, segundo eles, teve início em um episódio de agressão de Fudoli contra a ex-esposa.

"Henrique tem promovido verdadeira campanha de perseguição, ameaça e assédio moral a autoridades, advogados e servidores em razão do seu inconformismo com o andamento dos processos que sua ex-esposa movia contra ele, reconhecidamente abusando de seu direito de acesso ao Judiciário, seja supostamente criando dívidas em nome dos profissionais, sempre enviando e-mails e fazendo ligações e escrevendo e publicando livros atacando Juízas que atuaram em seus processos ", disseram defensores públicos, que tinham suas identidades preservadas.

De acordo com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Ceará (OAB-CE), Erinaldo Dantas, pelo menos, oito advogados foram lesados ​​por Henrique de Paula Fudoli. A OAB acompanha os casos e pede atenção da Justiça.

"Ele diz que mora na Dinamarca, entra com um processo no Distrito Federal contra pessoas que moram em Fortaleza e a Justiça aceita? É preciso barrar novos processos dele, inclusive para evitar tumultos contra as vítimas. Ele se aproveita as falhas do Sistema, consegue protestar contra qualquer pessoa. Em relação a prisão dele, é um caso de Polícia. Pedimos um empenho maior neste sentido ", afirmou Erinaldo Dantas.


Por G1 CE


Nenhum comentário:

Postar um comentário