quarta-feira, 16 de março de 2022

CPI das associações militares retoma atividades e convida policiais para prestar depoimento



A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), na Assembleia Legislativa do Ceará, que investiga a participação de associações de policiais militares no motim da PM de 2020, foi retomada nesta terça-feira (15). Nesta primeira sessão, foram aprovados requerimentos que convidam policiais e bombeiros militares para prestarem depoimento no colegiado.

Os requerimentos solicitam o envio de convites a oito policiais militares, dois bombeiros e uma funcionária da Associação dos Profissionais de Segurança (APS), que é uma das instituições investigadas pelos deputados estaduais. Por ser um convite, os participantes não têm a obrigação de comparecer.

De acordo com o presidente da CPI, o deputado Salmito Filho (PDT), “agora vamos focar em ouvir os membros das associações, os funcionários e outros representantes que possam nos esclarecer nossas dúvidas e nos ajude a separar o joio do trigo no que diz respeito a essas formações de motim”.

A Comissão não realizou atividades ou deliberações durante o recesso parlamentar, entre dezembro e fevereiro. Na última sessão, em 2021, a CPI foi prorrogada por mais 120 dias, contando a partir de fevereiro deste ano, com o fim do recesso parlamentar.

A CPI foi instalada em agosto do ano passado para investigar o envolvimento das entidades de policiais militares no motim da PM, em 2020.

A instalação da comissão ocorreu em meio a investigações do Ministério Público do Estado sobre a movimentação financeira de dirigentes das associações na paralisação. Ela investiga o destino dos recursos recebidos por essas entidades ligadas à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros.


Trabalhos

Ao longo dos quatro meses de trabalho, a CPI já aprovou mais de 30 requerimentos de informação e mais de 60 ofícios. Ao todo, seis entidades são investigadas pela comissão.

Segundo o relator da CPI, deputado estadual Elmano de Freitas (PT), o último pedido feito foi um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre a movimentação financeira de alguns dirigentes e pessoas ligadas às entidades.


Por g1 CE


Nenhum comentário:

Postar um comentário