quinta-feira, 17 de junho de 2021

Pedidos de seguro-desemprego caem 53% em um ano no Ceará



O Ceará encerrou o mês de maio de 2021 com 15.469 solicitações de seguro-desemprego, apresentando uma redução de 53%, se comparado ao mesmo mês do ano passado, quando o estado contabilizou 32.935 pedidos deste benefício.

O Governo do Ceará reforça ainda que os dados são também inferiores aos resultados de outros estados da região Nordeste, como Bahia e Pernambuco, que registraram 26.045 e 16.030 solicitações, respectivamente.

Dados da Base de Gestão do Seguro-Desemprego, do Ministério da Economia, revelam ainda que os pedidos se concentram principalmente nos setores de:

  • Serviços (38,67%)
  • Comércio (25,3%)
  • Indústria (22,63%)
  • Construção Civil (11,64%).

A maior parte dos benefícios foi solicitada por trabalhadores com ensino médio (9.860), com idade entre 30 e 39 anos (5.524) e do sexo masculino (65,87%).

“A redução de 53% no número de solicitações do seguro-desemprego é mais um indicador da recuperação econômica do Estado do Ceará, que já registra mais de 20 mil postos de trabalho acumulados em 2021”, destaca o presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Vladyson Viana.

Considerando os cinco primeiros meses de 2021, no Ceará, foram habilitados ao recebimento do seguro-desemprego formal 81.446 requerentes, que atenderam os pré-requisitos legais solicitados para o acesso a este benefício assistencial, aqueles trabalhadores que, de forma temporária, estão fora do mercado de trabalho. O dado representa um aporte de R$ 344.339.253,39 na economia local, com um valor médio da parcela de R$ 1.242,10.

“Além de fundamental na proteção e amparo ao trabalhador no momento de desemprego, esse benefício também mantém aquecida a economia local. No caso do Ceará, os repasses do seguro representaram mais de 344 milhões de reais, que movimentaram a economia cearense”, conclui Vlaydson Viana.


Por G1 CE


Nenhum comentário:

Postar um comentário